POLÍTICAS PÚBLICAS PARA MELHOR
QUALIDADE DE VIDA.

Dois exemplos de como a energia renovável pode ajudar cidades emergentes

ideia | 31 Julho 2014

energia limpa

Alice Driver*

A América Latina e o Caribe exploram mais energia renovável do que qualquer outra região do mundo. De acordo com o Global Renewables Status Report 2014, três dos cinco principais países do mundo que investem em energias renováveis ​​como uma percentagem do seu PIB estão na América Latina: Uruguai, Costa Rica e Nicarágua.

No entanto, muitos dos recursos da região permanecem inexplorados, o que significa que a energia renovável pode desempenhar um papel fundamental na satisfação das necessidades de energia e criação de um futuro mais sustentável. Isto é especialmente verdadeiro em cidades emergentes que ainda estão tentando descobrir como satisfazer as necessidades de suas populações em crescimento.

As energias renováveis ​​também têm muitas aplicações em áreas rurais. Entre outros benefícios, elas ajudam a melhorar as instalações de educação e saúde e, em consequência, resultam em melhor aprendizado dos alunos, algo que pode ajudar as populações rurais a decidirem contra a migração para a cidade. Por estas razões, o Energia Sustentável para Todos nas Américas (SE4ALL Américas) está focado em dobrar o uso de energias renováveis ​​na região e proporcionar o acesso à energia moderna para todos.

O SE4ALL é uma iniciativa das Nações Unidas que tem como objetivo proporcionar o acesso universal à energia moderna, para aumentar a eficiência energética e dobrar a utilização de energias renováveis até 2030. O BID atua como um centro regional de SE4ALL nas Américas para apoiar o planejamento necessário de modo que as metas da ONU na região sejam alcançadas.

No Fórum SE4ALL Nações Unidas, em junho, o presidente do BID, Luis Alberto Moreno, anunciou que o Banco ajudaria projetos de energia renovável em mercados emergentes, fornecendo assistência técnica para ajudar o setor privado a desenvolver projetos mais rentáveis​​. “Nossa região precisa aumentar o porcentual de energias renováveis ​​dos atuais 30% para quase 44% em 2035”, disse ele.

Para alcançar esses objetivos, em outubro de 2014, o BID, em conjunto com o governo do Chile, fará o lançamento da Década da Energia Sustentável para Todos nas Américas em Santiago, Chile.

Mas por que as cidades da região devem se preocupar com o SE4ALL Américas?

1) A iniciativa oferece oportunidades de aprendizado com aplicações bem sucedidas de energia renovável, como a solar de aquecimento de água (SWH) Systems, que reduz os custos de energia para as famílias, o estresse sobre a rede nacional de energia e melhora o acesso à energia acessível e sustentável. De acordo com o Relatório de Status Global de Energias Renováveis ​​2014, o Brasil é o quarto país do mundo em capacidade de   aquecimento solar de água. Outros países (e cidades) podem seguir o exemplo brasileiro para expandir o uso de energia solar.  Exemplo disso é um projeto em Cochabamba, na Bolívia, que envolve a instalação de 10.000 sistemas SWH em casas, substituindo, assim, inseguros aquecedores de água de fluxo contínuo que funcionam com eletricidade.

2) O SE4ALL aumenta a conscientização de que a energia renovável é uma das formas mais viáveis ​​para fornecer energia para áreas remotas e isoladas. Como discutimos em um post anterior, o acesso à energia em áreas rurais tem ajudado a reduzir a migração rural-urbana, o que ajuda a diminuir o estresse sobre a rede de energia nas cidades. As energias renováveis ​​como a eólica e solar podem ser fonte de serviços básicos de energia para as populações rurais e aumentar as oportunidades econômicas, diminuindo o incentivo da migração para as cidades.

A duplicação da utilização de energias renováveis ​​tem profundas implicações para cidades emergentes em termos de saúde, educação e oportunidades econômicas. Fornecer energia para áreas rurais é parte da equação da criação de uma distribuição mais equitativa da população e colocando menos estresse energia nas cidades.

Alice Driver trabalha em comunicações para a iniciativa Energia Sustentável para Todos na América Latina e Caribe (LAC-SE4ALL). Em 2012-13, a doutora Driver foi bolsista de pós-doutorado na Universidade Autônoma do México (Unam).  Ela é uma escritora que explora questões como gênero, direitos das mulheres e direitos humanos com um foco no México e seus trabalhos já foram publicados por organizações com Al Jazeera, Salon, Ms. Magazine e Women’s Media Center. Em 2015, ela lançará o livro “More or Less Dead: Feminicide, Haunting, and the Ethics of Representation in Mexico” com a University of Arizona Press.

Deixar um comentário