Ideação
POLÍTICAS PÚBLICAS PARA MELHOR
QUALIDADE DE VIDA.

Rural e urbano unidos pela tecnologia

ideia | 6 Novembro 2018

Alexandre Leripio e Daiana Censi*

A agricultura familiar movimenta um mercado de cerca de R$ 7 bilhões por ano, segundo dados do Censo Agropecuário 2006. Mais de 80% das propriedades rurais brasileiras pertencem aos pequenos agricultores, que são responsáveis por grande parte dos alimentos que vão parar na mesa dos brasileiros.

Em 2016, o governo federal anunciou o Plano Safra da Agricultura Familiar. A iniciativa previa apoio técnico e capacitação para que agricultores melhorassem seus produtos e sua participação nesse mercado. O pacote incluía uma ordem de R$ 28 bilhões de investimentos para o segmento. Porém, mesmo com todas essas oportunidades e benefícios, muitas famílias produtoras acabam ficando de fora. Nem sempre todas as informações sobre o mercado consumidor chegam ao campo.

Como podemos ajudar?

Boa parte das famílias agricultoras procuram se organizar por meio de associações e cooperativas para entregar seus alimentos e melhorar a distribuição de seus produtos. Mesmo assim, sabemos que a falta de conexão entre o campo e a cidade ainda distanciava o pequeno produtor de melhores resultados. Do outro lado, os compradores também podiam economizar e ter mais qualidade comprando diretamente do produtor.

É exatamente nesse vácuo que atuamos. Pensamos em unir o útil ao agradável, o que significa conectar o produtor diretamente ao comprador. Foi a partir disso que decidimos criar uma plataforma digital que faz o trabalho de conectar o rural e o urbano como uma forma de promover negócios entre ambos. Nosso maior orgulho é que o elo mais fraco na cadeia de alimentos (pequenos agricultores, e sobretudo os que plantam sem agrotóxicos) agora estão empoderados.

Sumá: uma divindade para agricultores e compradores

Nosso objetivo, desde o início (2016), é diminuir as distâncias e conectar agricultores familiares aos compradores finais. O nome “Sumá” foi inspirado em uma deusa da agricultura tupi-guarani e acreditamos que nosso trabalho unido à benção da deusa Sumá tem rendido uma aproximação real entre o campo e a cidade sem precedentes, no Estado de Santa Catarina. É uma conexão que já eliminou uma série burocracias e um longo processo de distribuição. Além disso, tem evitado que o alimento que sai fresco do campo chegue danificado e caro na cozinha.

Nossa proposta além de ser simples, facilita a vida de muita gente. Conectamos quem planta e quer vender com quem precisa dos alimentos e quer comprar. Ambos se cadastram no aplicativo e pronto, já podem começar a negociação.

A solução proporciona às cozinhas alimentos frescos e com a qualidade exigida. Os compradores sabem a origem dos alimentos e conhecem os agricultores familiares fornecedores.

Quer receber posts como este diretamente em seu e-mail? Inscreva-se para receber nossas atualizações. Clique aqui!

O aplicativo já possui mais de 1,6 mil cadastros de agricultores e mais de 100 compradores cadastrados em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul. Nossos cálculos já verificaram que o produtor que usa a plataforma recebe 27% a mais do que na cadeia tradicional. Já o comprador, paga 7% a menos. Todavia, há relatos de usuários que garantem que o ganho é ainda maior.

Conheça a Sumá

 

*A Sumá é uma startup catarinense. Foi uma das nove vencedoras da chamada ICE-BID, concurso que destina R$ 1,6 milhão para apoio aos negócios de impacto socioambiental.

* Alexandre Leripio e Daiana Censi são sócios e fundadores da Sumá.

2 comentários

Deixar um comentário