Foto1

Como você sabe, espaços verdes e qualidade de vida urbana ocupam um lugar muito relevante no nosso blog. Hoje vamos falar sobre um projeto que mostra como a gestão ambiental dos recursos naturais e a preservação dos ecossistemas vulneráveis a uma cidade também pode servir para reduzir as desigualdades sociais.

Com o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a cidade de Goiânia, Brasil, (2 milhões de habitantes) está implementando o  Programa Urbano Ambiental Macambira Anicuns (Puama), que entre outras obras inclui a construção do maior parque linear urbano do mundo. O projeto envolve a recuperação do Rio Macambira e um dos seus afluentes, o rio Anicuns, que juntos drenam cerca de 70% da área urbana e se encontram social e ambientalmente muito degradados.

mapa

O parque linear terá 26,5 quilômetros de extensão e vai acompanhar os dois cursos d’água, com uma largura de pelo menos 30 metros em ambas as margens. Este grande espaço verde (2.620.000 m2), por sua vez, conterá mais de 46 áreas comunitárias (centros poliesportivos, praças, parques, lagos, um aquário, um jardim botânico, centros culturais e anfiteatros ao ar livre). O projeto também prevê a construção de uma ciclovia ao longo do parque e 42 pontes para pedestres.

Foto2

O programa, cujo investimento é financiado 60% pelo BID (US$ 56,7 milhões), irá beneficiar diretamente 350 mil pessoas em 90 bairros da cidade. A iniciativa busca solucionar os problemas ambientais e sociais resultantes da ocupação desordenada do espaço urbano por meio da regularização e realocação de famílias que vivem atualmente em áreas de risco, (especialmente aquelas nas margens inundáveis dos cursos de água. Além de infraestruturas e equipamentos essenciais para a qualidade de vida urbana, na área que circunda o parque serão construídos: pavimentação, iluminação e drenagem, três escolas e cinco centros de saúde.