POLÍTICAS PÚBLICAS PARA MELHOR
QUALIDADE DE VIDA.

Dirigir e enviar mensagens, quem paga a conta

ideia | 4 Julho 2016

direcao e celular_transito_seguranca_ideacao

Eduardo Cafe*

Você sabia que durante os oito segundos em que você envia uma mensagem de celular enquanto dirige a 120 km/h, você percorre uma distância equivalente a de um campo de futebol com os olhos fechados? Essa prática tem chamado a atenção das autoridades de trânsito e dos governos sobre o tema de segurança viária. Isso devido a que as novas tecnologias geram elementos de distração que te levam a desviar a visão e/ou tirar as mãos do volante como para enviar mensagens, falar ao celular, traçar uma rota no GPS enquanto dirige e conversa constantemente com os passageiros e por aí vai. Realizar atividades visuais e/ou manuais enquanto dirige associadas ao celular e a outros instrumentos portáteis triplica o risco de sinistro de trânsito.

A Organização Mundial da Saúde, os governos e a sociedade civil começaram a diagnosticar a dimensão do problema dos elementos de distração nos sinistros de trânsito e chegaram a dados impressionantes:

1Em geral, entre oito e 11% dos sinistros de trânsito com vítimas fatais na Nova Zelândia, Canadá, Países Baixos e Estados Unidos foram causados por elementos de distração gerados pelas novas tecnologias (Relatório da OMS, 2011).

2Em 2013, 3.154 pessoas morreram em colisão de veículos nos Estados Unidos, por causa de uma condução distraída. Os condutores na faixa etária dos 20 anos representam 27% do número de condutores distraídos em sinistros de trânsito no país. E 69% dos motoristas dos Estados Unidos na faixa etária de 25 a 68 anos reportaram haver falado ao telefone enquanto dirigiam (Relatório Semanal de Mobilidade e Mortalidade, CDC, 2013).

3No Brasil e no Chile, entre 20 e 25% dos sinistros de trânsito estão relacionados com o uso do celular e outros elementos de distração. Hoje no Chile falar ao celular e enviar mensagens de texto enquanto se dirige é uma das primeiras causas de acidentes do país.

transito_pt

Mas o que os governos e a sociedade civil têm feito para enfrentar o problema?

 

Os governos têm adotado medidas institucionais, normas e campanhas de conscientização para enfrentar o problema.

Do ponto de vista institucional os governos municipais e estaduais dos Estados Unidos, empregadores, educadores e a sociedade civil tem criado um movimento combinado para conscientizar a população sobre os riscos e as soluções para este problema lançando um portal de Elementos de Distração no Trânsito. Neste portal podem ser acessadas estatísticas, campanhas, testemunhos de vítimas, modelos de política interna e um guia sobre como as empresas e organizações sociais podem ajudar na abordagem do tema em ambientes corporativos e na comunidade.

A partir do ponto de vista normativo, a Associação dos Governadores para a Segurança Viária elaborou um levantamento regulatório nos Estados Unidos em relação à proibição e sanções para o condutor distraído nos diferentes estados do país. Apenas 18 estados e territórios americanos têm leis que proíbem o uso do celular enquanto dirige. Além disso, a organização dispõe de uma metodologia unificada para a coleta de dados em caso de sinistros. No Brasil e no Chile existem leis nacionais, mas ainda é necessário fortalecer o mecanismo de vigilância.

Por último, tem havido bons investimentos em vídeos criativos para sensibilizar a sociedade sobre os riscos aos que se distraem com o celular e outros dispositivos. Os vídeos podem ter desde um tom de comédia a até algo mais impactante.  A Companhia de Seguros de Automóveis de Quebec realizou um comercial interessante sobre o assunto.

Na última edição do Projeto Luz Amarela – concurso patrocinado pela Federação Internacional do Automóvel (FIA), MTV América Latina, o Banco de Desenvolvimento do Caribe e o BID – um dos vídeos premiados faz uma alusão direta ao risco de dirigir e digitar uma mensagem de texto desafiando os jovens, o grupo mais vulnerável neste sentido, a adquirir o hábito de não escrever no celular quando se dirige. Convido você a assistir, são apenas 30 segundos:

Para quem acredita que este problema é apenas dos condutores, os elementos de distração também são a causa de sinistros com pedestres.  Mas isso é história para outro post!

(O título deste post é o nome em português da campanha de elementos de distração do governo dos Estados Unidos).

Post publicado originalmente em espanhol no blog do BID, Moviliblog

 

*Eduardo Cafe é consultor da Divisão de Transporte do BID, em Washington D.C, onde trabalha na iniciativa de segurança viária e na elaboração de projetos na área de transporte.

Deixar um comentário