POLÍTICAS PÚBLICAS PARA MELHOR
QUALIDADE DE VIDA.

Três benefícios sociais e econômicos da implantação de espaços de convivência

ideia | 25 Fevereiro 2016

espacos de convivencia - campo grande - saúde

Jason Hobbs*

O crescimento ordenado das cidades médias representa numerosos desafios relacionados à qualidade de vida e mobilidade urbana, entre outros fatores. Em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, não é diferente. Com mais de 800 mil habitantes, a cidade vivenciou na última década o esvaziamento e perda de dinamismo econômico de sua região central, enquanto a mobilidade urbana vinha sofrendo estrangulamentos com a crescente frota de veículos.

Para trazer mais dinamismo ao centro e melhorar a mobilidade, a cidade vem adotando desde 2008 uma solução de desenvolvimento urbano integrado, o PROCIDADES. Apresento abaixo três benefícios sociais e econômicos da implantação de espaços de convivência que foi possível evidenciar em Campo Grande:

1.Melhoria de convivência social

No lugar de uma ferrovia desativada foram construídos dois parques lineares – a Orla Morena e a Orla Ferroviária, que compreende sete bairros, e por onde hoje circulam diariamente até 50 mil pessoas. Vários projetos acontecem ao mesmo tempo desde ginástica para a terceira idade a feira de produtores locais, promovidos por atores distintos da comunidade e pela Prefeitura.

2. Crescimento econômico

O ambiente criado valorizou os imóveis da região em 30%. Com o aumento da circulação de pessoas, o número de licenças de funcionamento de comércio e serviços no centro aumentou 52% entre 2007 e 2012, trazendo de volta o desenvolvimento e utilização da área central.

3. Fortalecimento do sistema de transporte

Um novo sistema semafórico foi introduzido em 180 cruzamentos, com controle centralizado e monitoramento por imagem em tempo real. O Plano Diretor de Transportes foi revisado, utilizando novas bases de dados e técnicas de análise. Com as ações, o tempo de trajeto nestas áreas foi reduzido em 33%.

O caminho para se chegar a uma composição de soluções urbanas envolve planejamento profundo alinhado aos desejos da população, que é ativa em todo o processo. A definição de uso dos espaços públicos, por exemplo, se dá por meio de amplos diálogos, que envolvem atores com interesses diversos, além de elementos econômicos, geográficos e sociais que devem ser observados.

Esta história faz parte da série Transformando Realidades. Saiba mais sobre os impactos do desenvolvimento integrado desta e de outras 11 intervenções. Clique aqui

 

* Jason Hobbs é especialista em Habitação e Desenvolvimento Urbano do BID no Brasil.

Deixar um comentário