POLÍTICAS PÚBLICAS PARA MELHOR
QUALIDADE DE VIDA.

Três ações de desenvolvimento que mudaram a vida em Manaus

ideia | 4 Fevereiro 2016

manaus - saneamento_habitacao_cidadania

Claudia Nery*

A população de Manaus quintuplicou nas últimas três décadas.  Os novos habitantes foram se estabelecendo em palafitas, casas sustentadas por estacas de madeira, situadas ao longo dos afluentes do Rio Negro que cortam a cidade, os igarapés, sobretudo nas bacias São Raimundo e Educandos-Quarenta, que juntas somam mais de 14 mil hectares. Com a ausência de um sistema de esgoto adequado, água potável e energia elétrica Manaus teve que encontrar caminhos para lidar com esta complexidade urbana e ambiental.

O pulo do gato para transformar essa condição em uma paisagem urbana revitalizada, e diminuir a incidência de problemas de saúde e doenças, começou em 2006 com um programa de visão integrada que envolveu saneamento, recuperação ambiental, requalificação urbana e reassentamento das famílias, além das capacitações para que as famílias, já acomodadas em suas novas residências, pudessem se posicionar melhor no mercado de trabalho.

Entre as várias intervenções adotadas, apresento três ações fundamentais que a cidade implementou para que a população pudesse ter novas perspectivas de vida:

Habitação 

Mais de 10 mil famílias amazonenses deixaram as palafitas para viver em 2.356 conjuntos habitacionais, equipados com infraestrutura básica e ruas asfaltadas. Com a criação de um ambiente mais amplo e iluminado houve uma percepção por parte da população de redução da violência e mudança de comportamento, trazendo mais qualidade de vida.

Saneamento

Com o fim da densidade populacional sobre os igarapés, 37 km de sistemas de drenagem foram implantados, o que diminuiu o nível das águas durante a época de cheia. O índice de diarreia diminuiu de 57 para cinco casos a cada 10 mil habitantes, enquanto a incidência de hepatite A declinou de 12 para dois casos a cada 10 mil habitantes.

Fortalecimento da cidadania 

As comunidades estiveram envolvidas nos processos de reassentamento das famílias e no acompanhamento das obras, assim como nas atividades de preservação ambiental e capacitações. Cerca de 930 pessoas participaram das mais de 35 modalidades de cursos oferecidos.

Esta história faz parte da série Transformando Realidades. Saiba mais sobre os impactos do desenvolvimento integrado desta e de outras 11 intervenções. Clique aqui

 

* Claudia Nery é especialista em Água e Saneamento do BID no Brasil.

1 comentário

  • Ótima análise. Acredito que o estímulo descontínuo do governo militar ao crescimento da região foi , em parte, responsável pelo quadro que temos hoje.

    Espero que as ações de resgate à cidadania sejam aplicadas nas outras cidades da Região Amazônica.

Deixar um comentário