POLÍTICAS PÚBLICAS PARA MELHOR
QUALIDADE DE VIDA.

Quando boas ideias e tecnologias ajudam melhorar a vida nas cidades

ideia | 2 Setembro 2015

colab e noocity - demand solutions

Suélem Santos*

Escutar, experimentar e co-criar soluções são características de jovens empreendedores que utilizam tecnologias para encontrar oportunidades, melhorar e facilitar a vida das pessoas. Quando esta receita é desenhada para melhorar a vida nas cidades, os benefícios ganham escala.

As startups brasileiras Colab e Noocity Ecologia Urbana têm trazido novas formas de abordar desafios urbanos, usando tecnologia, colaboração e dados abertos, ajudando a melhorar as condições de vida e de emprego nas pequenas, médias e grandes cidades. Elas fazem parte das 15 startups mais inovadoras da América Latina e Caribe selecionadas na terceira edição do Demand Solutions, evento promovido pelo BID.

Já pensou em falar para a prefeitura da sua cidade sobre uma calçada que precisa de manutenção através de um aplicativo? É exatamente isso que a Colab faz. A plataforma social foi desenhada para conectar o cidadão ao governo, onde é possível reportar ou sugerir melhorias urbanas, assim como novas políticas e avaliação dos serviços públicos.

E que tal produzir os seus próprios alimentos? A Noocity Ecologia Urbana é voltada para soluções de agricultura urbana sustentável.  A ferramenta foi desenhada para recolher água das chuvas, cultivar alimentos biológicos, compostar resíduos orgânicos criando um ciclo de alimentos urbanos autossustentáveis, eficiente e que fortalece os laços comunitários.

Conversamos sobre inovação, desafios e lições aprendidas com o Bruno Aracaty, co-fundador da Colab e com o Rafael Loschiavo Miranda, co-fundador da Noocity Ecologia Urbana.

1) Por que a inovação é tão importante para as cidades?

Colab: acredito que ‘inovação’ é a aplicação de novas ideias em um contexto específico, de forma a transformá-lo positivamente e irrecuperavelmente. Tendo isso em mente, hoje, olhamos para as cidades como organismos caóticos e problemáticos. Seja olhando para a questão da mobilidade, da comunicação ou da prestação de serviços públicos, há diversas oportunidades de melhoria. Quando entendemos bem os problemas das cidades, percebemos que somente processos, produtos e modelos inovadores são capazes de mudá-los. 

Noocity: as novas ferramentas tecnológicas estão possibilitando, às pessoas comuns, conhecimento para inovações que transformam a vida da humanidade. Antes o controle estava na mão de grandes grupos, governos e empresas. Hoje, as soluções e ferramentas estão disponíveis a todos para transformar o mundo em um lugar melhor, além de conectar as pessoas. São milhares de iniciativas bem sucedidas que estão acontecendo e estamos começando a entender que podemos transformar o que não gostamos em nossas vidas.

2) Quais os maiores desafios que vocês enfrentam para empreender?

Colab: olhando para o cenário de empreendedorismo no Brasil, o maior obstáculo está na cultura das pessoas. Esse fator cultural influencia tanto os que querem empreender, mas nunca tiveram a educação ou a estrutura comportamental desenvolvida para tal, quanto o ambiente como um todo, que falha em permitir – ou admitir – erros e reconstruções. Além disso, há os desafios que, invariavelmente, afetam a todos, como: excesso de burocracia, capital caro e de difícil acesso, assim como escassez de profissionais qualificados. 

Noocity: não aprendemos na escola conceitos básicos de finanças e empreendedorismo e assuntos jurídicos. Agora é necessário ir atrás desse imprescindível conhecimento e quem o possui tem grandes vantagens no mercado. Outro desafio é a inserção no mercado, porque também requer alto investimento em trâmites burocráticos que por sua vez dificultam o foco nos objetivos da empresa.

3) Que lições podem ser úteis para outros potenciais inovadores?

Colab: foram coisas que fizemos – ou tentamos fazer – ou ainda estamos evoluindo, mas que se provaram como parte da explicação do nosso sucesso até aqui:

(1) faça coisas não escaláveis no começo: hoje, todo mundo prega que o negócio “tem que escalar”. Isso não pode ser foco desde o primeiro dia. O foco precisa estar em “ser sustentável”.

(2) envolva clientes desde cedo: é natural que empreendedores achem que seu produto não está bom. No entanto, ter entrado em contato com clientes e ter falado com diversos tipos de stakeholders logo no começo foi fundamental para ampliarmos nossa visão e aprendermos bastante.

(3) faça testes rápidos e baratos: por mais que o empreendedor tenha dinheiro próprio para investir, às vezes “treinar” a escassez de recursos – o normal para a grande maioria – é importante para andar mais rápido, melhorar a produtividade, aprender e transformar.

Noocity: vale a pena os esforços em buscar a excelência em um nicho de mercado, pois ela se converterá em mídia espontânea. Vale acreditar e focar no seu objetivo, o resultado desse trabalho meticulosamente bem feito certamente virá com o tempo em forma de grandes alicerces cruciais para o futuro de sua empresa.

O Demand Solutions acontecerá dia 29 de setembro, a partir das 9h EDT, em Washington, D.C, e será transmitido via Livestream em inglês, espanhol e português. Registre-se: http://goo.gl/uffMNQ

 

* Suélem Santos é jornalista e consultora em Relações Externas do BID no Brasil e faz MBA em Marketing e Comunicação na Era Digital, pelo IESB, em Brasília.

 

Deixar um comentário