POLÍTICAS PÚBLICAS PARA MELHOR
QUALIDADE DE VIDA.

4 perguntas para um jovem empreendedor social – Parte 3

ideia | 12 Novembro 2014

livox

Um erro médico fez com que a filha do empreendedor Carlos Pereira nascesse com paralisia cerebral. Para comunicar-se com ela, ele criou um aplicativo para tablets, que agora ajuda milhares de brasileiros. O Livox converte textos em som e símbolos, permitindo uma melhor comunicação com pessoas com necessidades especiais.  Selecionado para participar do DemandSolutions, evento do BID voltado para a inovação, Carlos fala sobre os desafios que enfrenta como empreendedor.

1) Por que você decidiu ser um empreendedor social?

A ideia de empreender se deu por conta da minha filha, Clara Pereira, que tem sete anos de idade. Devido a um erro médico no parto, minha filha tem paralisia cerebral. Como ela, 15 milhões de brasileiros com deficiência não falam. São pessoas com paralisia cerebral, autismo, sequelas de AVC e diversas outras doenças ou deficiências que impedem o processo de fala. Para essas pessoas a linguagem de sinais não é uma opção. Pensando na necessidade da minha filha e na de milhões de pessoas com deficiência, criei o Livox, que foi o primeiro aplicativo de comunicação alternativa para tablets em português do mundo. O Livox já nasceu com as melhores tecnologias e com a ideia de se adaptar automaticamente a cada tipo de deficiência.

2) Quais os maiores obstáculos que você enfrenta para empreender?

O maior obstáculo foi que no Brasil ainda não há um conceito forte de negócio social. As pessoas não imaginam que se pode fazer o bem e lucrar. Então foi bastante difícil em um ambiente que não está preparado para empreendimentos sociais criar um negócio lucrativo.

3) Onde você imagina o seu negócio daqui a 5 anos? 

Já atendemos mais de 10 mil pessoas com deficiência em todo o Brasil. Estamos consolidando nossa posição como o melhor aplicativo de comunicação alternativa do mercado e é nossa meta em breve entrar em mercados estrangeiros como os de língua inglesa e espanhola.

 4) Que dica você daria para quem quer ser um empreendedor social?

Tenha foco, em especial no core business do seu negócio. Procure criar a melhor experiência possível para seus usuários; com o tempo os resultados aparecerão.

Deixar um comentário