POLÍTICAS PÚBLICAS PARA MELHOR
QUALIDADE DE VIDA.

Esforços para inserir grupos vulneráveis no mercado de trabalho

ideia | 11 Setembro 2013

trabalho

Camila Mejía* 

Um encontro interessante aconteceu recentemente na Bahia com os principais responsáveis por políticas de trabalho e desenvolvimento social, representantes do setor privado e executores de programas de intermediação, capacitação e educação profissional do país. 

Diante do fatos de que nos estados da Bahia, Ceará e Sergipe  apenas 16% da população de mais baixa renda concluiu o ensino médio parece evidente a necessidade de trabalhar com urgência para buscar soluções. Além de ter um baixo nível de escolaridade e qualificação, nesta população encontramos aqueles grupos que tem sido tradicionalmente excluídos do mercado de trabalho, como negros (85%)  e mulheres (89% dos chefes de famílias são mulheres). E deste encontro foi possível tirar três conclusões importantes: 

* Primeiro, é imprescindível coordenar as políticas educacionais e de emprego nas várias esferas de governo. Como foi mencionado na reunião “só assim vamos apoiar estas populações, que precisam sair dos programas de transferências condicionadas, deixar sua dependência e ingressarem no mercado de trabalho”. 

* Segundo, também é necessário criar ferramentas de planejamento para uma melhor prospecção das necessidades futuras de mão de obra e poder adapta-las as políticas atuais. 

* E, finalmente, o setor privado deve participar destas diferentes instâncias como uma condição indispensável para uma efetiva inserção destes grupos no mercado de trabalho.

 Embora haja um longo caminho a percorrer, este evento foi uma conquista significativa. Como explica a Superintendente de Desenvolvimento do Trabalho e responsável pelo SINE no estado da Bahia, Maria Thereza Andrade, “o BID nos incentiva a sentarmos e conversarmos em uma mesa e, o mais importante, envolver todos aqueles que trabalham com essas políticas todos os dias  para refletir coletivamente sobre os principais desafios que enfrentamos e as principais soluções. Este é um espaço sem precedentes e eu sinceramente espero ver acontecendo outra vez em breve”.

 *Consultora da Unidade de Mercados de Trabalho e Segurança Social do BID

 Para saber mais, consulte nosso blog Factor Trabajo.

Deixar um comentário